Feira de Orquídeas no Armazém da Moda

agosto 29, 2016 Orquidário UEL 3 Comments


A partir dessa sexta-feira começa a Feira de Orquídeas

O evento irá mostrar as mais belas flores exóticas da natureza (Foto: Imgur)

Começa nessa sexta-feira (2), a 19ª edição da Feira de Orquídeas promovida pelo grupo de produtores da região de Mogi das Cruzes (SP) e pelo Armazém da Moda. A Feira vai ser realizada pelo próprio shopping até o dia 11 de setembro. De segunda a sábado, o evento pode ser visitado das 9h às 20h. A entrada é gratuita. 
A exposição irá conter das mais variadas espécies de orquídeas. São várias tonalidades, além de conter uma gama completa de adubos, substratos e vasos nos seus estandes. 

Cursos de cultivo


Na edição de 2016, estará aberto ao público uma série de cursos, nos dias 03, 06, 07, 09 e 10 de setembro, ministrados pelo professor de agronomia e pesquisador da Universidade Estadual de Londrina, Ricardo Tadeu de Faria, sobre dicas de cultivo de orquídeas. 
Será abordado no curso temas como técnicas, plantio e cuidados básicos para cultivo (variedades de orquídeas; como construir o orquidário; produção de mudas e divisão de plantas; plantio de orquídeas em árvores e em vasos; plantio de orquídeas em vasos; substrato para plantio; regas e adubação; controle de pragas e doenças; paisagismo com orquídeas).
Os horários variam: nos dias 03, 07 e 10, o curso começa às 19h30 e nos dias 06 e 09, às 15h. O preço do curso é de R$ 30,00 e a obtenção da apostila (R$10,00) é opcional. Todos que participarem do curso, receberá como brinde, um vaso de orquídea. 

(Reprodução: Armazém da Moda)

As vagas são limitadas e os interessados devem se inscrever pelo telefone (43) 3348-0154. O local da feira e dos cursos vão ser no Shopping Armazém da Moda, que fica na Avenida Tiradentes, 1411, no Jardim Shangri-la.

Serviços


19ª Feira de Orquídeas
Data: 02 a 11 de setembro 
Local: Armazém da Moda (Rua Tiradentes, 1411) 
Horário de visitas: 9h às 20h todos os dias
Mais informações pelo telefone (43) 3348-0154. 




Confira o vídeo promovido pelo Armazém da Moda



3 comentários:

Cattleya walkeriana

agosto 18, 2016 Orquidário UEL 1 Comments


Lista Vermelha - Cattleya walkeriana


Cattleya walkeriana (Foto: Carol Costa/ Minhas plantas) 
Após a publicação da Lista Vermelha (veja aqui) das Orquídeas na semana passada, estaremos lançando aqui no blog, todo mês uma postagem de orquídeas nativas em risco de extinção. Vamos apresentar uma pequena ficha com detalhes e informações da espécie descrita, mais dicas de cultivo. Vale lembrar que a coleta predatória no ambiente natural é proibida e ao adquirir uma orquídea, seja de um colecionador, de uma floricultura ou orquidário, é preciso saber sua origem, se está prejudicando o meio ambiente ou não.
Nesse mês de agosto, escolhemos a Cattleya walkeriana, uma orquídea apreciada por orquidófilos do mundo inteiro por sua perfeita e equilibrada simetria. Seus exemplares podem chegar a R$ 1.000,00 e, alguns de seus híbridos até R$ 3.000,00, como é o caso da Cattleya walkeriana 'Feiticeira'. A Cattleya walkeriana é encontrada em seu ambiente selvagem, nos estados de Goiás, Mato Grosso, São Paulo e Minas Gerais, sempre próxima a rios, lagos ou pântanos. 

Origem: Brasil
Estados: Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso
Tamanho flor: 8x8 cm
Época floração: verão/outono
Floração: Sua flor dura em média de 10 a 15 dias. Sua floração pode ocorrer durante o ano todo, mas se concentra principalmente nos meses de abril a junho, sendo que seu pico de floração é no mês de maio, o que lhe dá os mais variados nomes como flor de Maria, flor das noivas, flor das mães, flor de inverno, etc.


A Cattleya foi descoberta em 1839 por George Gardner, próximo ao rio São Francisco, em Minas Gerais. Seu nome foi homenagem ao seu assistente, Edward Walker, que o acompanhou em sua segunda viagem ao Brasil, a serviço do Jardim Botânico de Ceilão, no Sri Lanka (Foto: Imgur)

Luminosidade: Intensa, porém não direta. 50 % luminosidade
Recipiente: cachepos de madeira, vasos de cerâmica, piracicabanos (vasos de cerâmica baixos e furados)
Substrato:  Pode ser cultivada em toquinhos de madeira, palitos de fibra de coco ou em troncos de árvore. Seu substrato pode conter mistura de  musgo, casca pinus e carvão. Por ser epífeta (que cresce sobre as árvores), prefere substratos mais arejados. Essa orquídea detesta substratos encharcados. 
Adubação:  NPK 20-20-20  solúvel em água  ( 3g/L mensal) ou valores próximos a isso, quinzenalmente.


Orquídea do cerrado brasileiro (Foto: Catraca Livre)
Por seu porte pequeno, essa orquídea possui uma fácil adaptabilidade, sendo plantas 
de cultivo fácil que orquidófilos do mundo inteiro já dominam (Foto: Carol Costa)

Regas: Dever ser regada diariamente, principalmente ser for plantada em toquinhos de madeira e em dias muito quentes. Gosta de ambiente úmidos e bastante ventilados. No inverno, deve ser protegida dos ventos e suas regas, diminuídas.
Doenças: É mais comum ser atacada por doenças causadas por fungos como o podridão-negra, por exemplo. Nesse caso, a parte afetada deve ser cortada e queimada, e o local do corte deve ser tratado com um fungicida específico que deve ser receitado por um agrônomo. Se o ataque for intenso, o melhor mesmo é sacrificar toda a planta, para que não corra o risco de contaminar outras plantas. Um boa dica para evitar esses fungos altamente destrutivos é usar sulfato de cobre juntamente com a adubação quinzenal e evitar alta concentração de umidade no local de cultivo.
Pode ser atacada por pragas como cochonilhas e pulgões. O controle pode ser feito manualmente se tiver poucos exemplares, usando-se detergente líquido diluído em água ou inseticidas comuns, encontrados em lojas de produtos agropecuários.


Cattleya em seu habitat natural. Suas flores exalam um perfume agradável e duradouro (lembrando canela), capaz de manter o ambiente perfumado durante toda sua floração (Foto: Wikipedia)

Tipos: São encontradas as formas tipo lilás, alba (branca), coerulea (azulada), semialba (branca com labelo lilás), lilacínea (rosada), flammea (lilás com riscos púrpura), vinicolor (vinho), entre outras.
Variações: C., walkeriana var. semi alba Toko n1, C. walkeriana Feitiçeira,  C. walkeriana var. caerulea Patricia, C. walkeriana var. alba White Princess 
(Foto: Carol Costa/ Minhas Plantas)
Cattleya walkeriana alba 'Equilab' (Foto: JPMC)
É uma planta muito resistente e já foi citada como a espécie de Cattleya brasileira mais abundante na natureza. (Foto: Perfil da Planta)


Fontes: Catraca Livre
             Wikipedia
             Orquídeas Flores Divinas
             Delfina de Araújo
             Minhas Plantas
             Orchid Board

1 comentários:

Lista Vermelha das Orquídeas

agosto 08, 2016 Orquidário UEL 2 Comments


Lista Vermelha de espécies brasileiras ameaçadas de extinção - Orchidaceae

Cattleya labiata - Orquidário UEL
Cattleya labiata, a "Rainha do Nordeste" é uma das orquídeas 
presentes na lista vermelha (Foto: Alanis Brito)

Brasil, país de diversidade pela sua flora e fauna, possui também uma alta taxa de desmatamento - sendo um dos grandes problemas ecológicos que o país enfrenta atualmente. São várias as causas, desde a exploração do solo para agricultura e pecuária, caça predatória de animais à urbanização e criação de infraestruturas como pontes e barragens. 
Segundo a SOS Mata Atlântica, Minas Gerais lidera o ranking de desmatamento, seguido por Bahia e Piauí, este último, campeão de desmatamento entre os anos de 2013-2014. Esses três estados se destacam nas colocações por conta do desmatamento identificado nos limites do Cerrado. No caso de Minas Gerais, a perda das florestas nativas se deu pela atividade de mineração. Em decorrência do rompimento das barragens em Mariana no ano passado, houve registro de um desmatamento de 169 hectares na cidade, o equivalente a 65% do total (258 ha).
Carros e destroços de casas em meio a lama após o rompimento de 
barragem de rejeitos da mineradora Samarco no Distrito de Bento Rodrigues, 
Minas Gerais (Foto: Christophe Simon/G1)

Além desses três estados, o Paraná se encontra em alerta vermelho. Enquanto os três primeiros estados lideram a lista geral, o Paraná foi o que mais apresentou aumento emblemático, saltando de 116% de 921 hectares para 1.988 hectares no último período. Vale lembrar que restam somente 3% das florestas que abrigam nossa árvore símbolo, a Araucária, (Araucaria angustifolia), espécie ameaçada de extinção. 
►Os dados completos e o relatório técnico poderão ser acessados aqui
Araucárias no Campus da UEL (Foto: Blog da Fotografia)

As orquídeas também não fogem desses dados. São mais de 470 espécies de orquídeas ameaçadas de extinção. Inúmeros motivos causam o progressivo desaparecimento das orquídeas, e todos são relacionados à atividade humana: expansão das fronteiras agrícolas, queimadas, avanço da especulação imobiliária e da exploração de minérios, além da coleta predatória - este último realizado por colecionadores ou pelo comércio ilegal. O Brasil possui uma vasta diversidade de espécies de orquídeas, totalizando mais de 2.300 espécies representados por 190 gêneros. Acredita-se que muitas espécies tendem a desaparecer antes mesmo de serem catalogadas. 
Orquídea Cyrtopodium lissochiloides, uma das espécies ameaçadas de extinção (Foto: INK 361)
Orquídea Cattleya schilleriana. Ela já é considerada extinta na natureza, fato que leva a ter muito cuidado em seu cultivo de plantas remanescentes, bem como a tentativa de reimplante nos possíveis habitats (Foto: Wikipedia)
Cattleya warneri T.Moore, orquídea ameaçada de extinção. Chamam atenção pelo seu tamanho, mas principalmente pela sua beleza (Foto: Orchids.la) 

A mais recente lista oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção, emitida pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (IBAMA), mostra cada espécie de orquídea brasileira ameaçada em ordem alfabética. A lista é de 17 de dezembro de 2014 e o Ministério do Meio Ambiente reconhece as espécies da flora ameaçadas de extinção. 
Segue a lista da Família Orchidaceae:






►Acesse a lista aqui

Nós do Orquidário UEL, produzimos mudas de orquídeas em laboratório para justamente evitar a coleta predatória no ambiente natural, evitando assim, a extinção das espécies. 
Para adquirir algumas de nossas mudas ou plantas com flores, entre em contato por aqui ou venha nos visitar no Orquidário, ficamos abertos para visitas todas as sextas-feiras, das 8h30 às 15h30. Entre aqui para ver as espécies de orquídeas disponíveis para venda.



Fontes: Ibama
             Orquidecampos
             Orquidofilos.com
             SOS Mata Atlântica

2 comentários: