Orquídea da Semana + Sorteio

julho 31, 2019 Orquidário UEL 6 Comments


Oncidium baueri 


Popularmente conhecida no Brasil como "chuva-de-ouro", a orquídea Oncidium baueri é principalmente encontrada no Brasil, no Paraguai e no Norte da Argentina, mas são distribuídas por toda a América Tropical. Além de ser uma espécie onde as pétalas e sépalas são bastante pequenas em relação ao labelo, a planta é repleta de cores vibrantes.

Origem: Norte AS
Dimensão da flor: 3 x 3
Haste floral: 1 a 3 cm
Altura da Planta: 80 cm
Época de floração: verão
Sombreamento: 50%
Temperatura: 10 a 35°C

Se você gostou da nossa Orquídea da Semana e quer ganhar uma, basta participar do sorteio. Comente "eu quero" nesta postagem. O ganhador deverá retirar a planta no Orquidário UEL, na sexta-feira, das 08:30 às 15 horas. Falar com o Seu Geraldo.  O resultado sai no dia 05/08 (segunda-feira). Boa sorte a todos!

*A foto menor é para ilustrar como a orquídea ficará quando florescer.*

6 comentários:

Londrina sedia 1ª Exposição Nacional das orquídeas Cattleya walkeriana e nobilior

julho 19, 2019 Orquidário UEL 0 Comments


A 1ª Exposição Nacional das orquídeas Cattleya walkeriana e nobilior foi realizada de 12 a 14 de Julho de 2019, em Londrina, promovido pela Confraria de Colecionadores de C. walkeriana e nobilior (CWN). O evento contou com palestras sobre os temas "Melhoramento Genético" e "Nutrição de Orquídeas". Os visitantes também puderam adquirir mudas e plantas adultas multiplicadas em laboratório por produtores de todo o país. Além disso, houve um concurso para o julgamento técnico das melhores plantas da exposição. O professor Ricardo Faria, que esteve presente na Exposição, explica que ambas são espécies brasileiras e que estão em risco de extinção devido a destruição de seus habitats e a coleta predatória.

A Cattleya walkeriana foi descoberta por George Gardner, em 1839, à margem de um riacho afluente do Rio São Francisco, em Minas Gerais. Seu nome é uma homenagem a Edward Walker, assistente do botânico que o acompanhava. A espécie também pode ser encontrada em ambiente selvagem nos estados de Goiás, Mato Grosso e São Paulo, sempre próxima a rios, lagos ou pântanos. 
Sua fragrância, que lembra o aroma de canela, e sua variedade de cores chamam a atenção. A espécie se adapta muito bem ao cultivo em ambiente interno, desde que tenha boas condições de umidade e iluminação.
A Cattleya nobilior foi descrita em 1883 pelo botânico alemão Heinrich Gustav Reichenbach, orquidófilo que identificou, descreveu e classificou mais de mil espécies de orquídeas durante sua carreira. O nome desta espécie, “nobilior”, deriva do latim e significa “mais nobre”, “melhor”. Muitos acreditam que seja em referência à Cattleya walkeriana, com qual é freqüentemente comparada. O cultivo desta espécie é reconhecido por muitos como difícil. Porém, proporcionando às plantas um ambiente parecido ao que ela tem na natureza, é possível atingir uma boa qualidade de vida à planta. 

Confira algumas fotos de espécies que estiveram na Exposição:

Cattleya walkeriana alba

Cattleya nobilior

Cattleya nobilior amaliae

 
Cattleya walkeriana semi alba

Cattleya walkeriana

Fotos: Ricardo Faria/Orquidário UEL

0 comentários:

Orquídea da Semana

julho 05, 2019 Orquidário UEL 2 Comments


Olá! Começaremos hoje uma série semanal intitulada "Orquídea da Semana". Aqui, você poderá ler informações técnicas e curiosidades sobre as variadas espécies de orquídeas e se encantar ainda mais. Não deixe de acompanhar! 

Koellenstenia tricolor
Foto: Sandro Lucas

Origem: Brasil
Dimensão da flor: 1,8 x 1,8 cm
Haste floral: 50 cm
Altura da Planta: 50 cm
Época de floração: verão
Duração da flor: 25 dias
Sombreamento: 50%
Temperatura: 10 a 35°C
Curiosidade: nome deste gênero Koellenstenia - é uma homenagem ao Capitão Friedrich Marcus Freiherr Kellner von Köllenstein (1802 – 1881), orquidófilo austríaco. 

2 comentários: