Aprenda a eliminar pragas em orquídeas

novembro 12, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Em mais um quadro "Meu Jardim", assista e aprenda a eliminar pragas de orquídeas com técnicas simples e caseiras

Pragas podem atacar raízes e folhas de orquídeas (Foto: Alanis Brito)

As orquídeas são maravilhosas por natureza. Mas o que podemos fazer quando surgem pragas nessas plantas? E quais técnicas caseiras e simples que posso realizar dentro de casa para eliminá-las? No quadro "Meu Jardim" da RPC com a colaboração do professor de agronomia e coordenador do Orquidário UEL, Ricardo Tadeu de Faria, ensina alguns métodos bem simples para evitar este evento. 
Assista abaixo:

Para mais vídeos, clique aqui ou acesse nossa página do Facebook.

0 comentários:

Artigo sobre abacaxi ornamental é publicado

novembro 05, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


No artigo orientado pelo professor Ricardo Faria, são discutidos substratos para aclimatização de mudas produzidas in vitro.



Abacaxi ornamental (Foto: Eduardo Uip)

O abacaxi ornamental pode ser uma excelente opção para arranjos paisagísticos e uma das formas de produção de mudas é por meio de cultura de tecidos. Esse tema está presente no artigo intitulado "Acclimatization and growth of ornamental pineapple seedlings under organic substrates" (Aclimatação e crescimento de mudas do abacaxi ornamental sob substratos orgânicos), orientado pelo professor de agronomia da Universidade Estadual de Londrina (UEL), e produzido pelos alunos Ronan Carlos Colombo, Vanessa Favetta, Maria Aparecida Da Cruz, Deived Uilian De Carvalho, Sergio Ruffo Roberto. Publicado na revista Ornamental Horticulture, o objetivo do presente estudo é avaliar a aclimatização de abacaxi ornamental [Ananas comosus (L.) Merr. var. ananassoides (Baker) Coppens & Leal] em diferentes substratos.
Para saber mais, clique aqui para ler o artigo completo.



Fontes: Ornamental Horticulture

0 comentários:

Inscrições abertas para o III SimbraOrq

novembro 04, 2017 Orquidário UEL 0 Comments



O III Simpósio Brasileiro sobre Cultivo de Orquídeas (SimbraOrq) que acontece entre os dias 20 a 23 de março de 2018 na Universidade Estadual de Londrina (UEL), em Londrina (PR), já está com as inscrições abertas! Há descontos nas inscrições nos meses que antecedem o evento e podem se inscrever até o dia 11 de março de 2018.
Está aberto também as inscrições para o minicurso até o dia 14 de dezembro. De valor de R$ 50,00 é limitado para cada participante e é aberto a comunidade geral. Acontece no primeiro dia do evento (20) e será ministrado cultivo de orquídeas, propagação in vitro, criopreservação, biorreator, substratos e nutrição.


Evento


O III SimbraOrq é uma realização do Departamento de Agronomia da UEL, da Empresa júnior de consultoria do curso de agronomia (Consoagro), da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Câmpus de Jaboticabal. 

O simpósio terá como tema central "A indústria da orquídea", que irá ser discutido nos três dias através de palestras e apresentação de trabalhos científicos, temas como banco de sementes, biofábrica de orquídeas, substratos, nutrição e pós colheita.

Espera-se um público entre professores, estudantes de graduação, pós-graduação da área e a apresentação de diversos trabalhos científicos.

Serviço


III SimbraOrq - Simpósio Brasileiro sobre Cultivo de Orquídeas
Data: 20 a 23 de março de 2018
Local: Universidade Estadual de Londrina (UEL)
As inscrições do III SImbraOrq devem ser realizadas no website do evento.
Para mais informações, acesse a página do evento no facebook, clicando aqui.



Inscrições através do link, clique aqui.


Logo oficial do evento

0 comentários:

Orquidário UEL na 21º CBFPO & 8º CBCTP

outubro 29, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Evento científico divulga pesquisas e trabalhos nas áreas de floricultura e cultura de tecido de plantas

(Foto: Divulgação do evento)

Dois pôsteres dos alunos de agronomia da Universidade Estadual de Londrina (UEL), ambos orientados pelo professor, Ricardo Tadeu de Faria, foram apresentados durante o 21º Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais & 8º Congresso Brasileiro de Cultura De Tecidos de Plantas.
O evento pretende atualizar e divulgar avanços científicos e tecnológicos nas áreas de floricultura e cultura de tecidos de plantas. Os congressos reuniram pesquisadores, professores, alunos da graduação e pós-graduação, produtores e extensionistas. De tema, "O Encontro dos Biomas Cerrado e Mata Atlântica: a exuberância do Pantanal, Bonito!", aconteceu entre os dias 18 a 22 de setembro de 2017, em Bonito (MS).
O trabalho "Criopreservação de sementes de Dyckia beateae (bromeliaceae) em nitrogênio líquido", dos alunos Douglas J. Bertoncelli, Guilherme Cito Alves, Jean Carlo Baldraz de Paula e Gianne C.G Stulzer, teve por objetivo definir um protocolo para a criopreservação em nitrogênio líquido de sementes de Dyckia beateae, espécie de bromélia que pode sobreviver em ambientes áridos com sol forte, mas se encontra em risco de extinção. 
Já o segundo pôster, "Conservação pós-colheita de hastes florais de Phalaenopsis", teve por objetivo avaliar o efeito da sacarose e do acido salicílico na pós-colheita de hastes florais de phalaenopsis, devido a necessidade do desenvolvimento de técnicas para aumentar a período pós-colheita da haste floral. Foi produzido pelos mesmos alunos e também com orientação de Faria.

*Não esqueçam que está rolando sorteio do livro Paisagismo. Harmonia, Ciência e Arte no Facebook. Clique aqui para participar.

0 comentários:

SORTEIO

outubro 20, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


REGULAMENTO
Curta a página oficial do Orquidário UEL (clique aqui)
Curta, marque dois amigos e compartilhe a imagem do post em modo público
E torça para ser premiado
Pode participar qualquer pessoa do Brasil
Serão três sortudos
Resultado do sorteio: 31/10/2017 às 20h

PRÊMIO
Livro Paisagismo. Harmonia, Ciência e Arte.
Iremos entrar em contato por meio da rede social Facebook.
Se o premiado não responder em três dias, será feito outro sorteio.

Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

0 comentários:

Substrato para orquídeas

outubro 15, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Material utilizado no cultivo de plantas não se limita apenas à terra

Existem variedades de substratos de origem vegetal, mineral e sintético (Fotos: Alanis Brito)

Há vários tipos de substratos que podem ser utilizados no cultivo de plantas fora do solo. Esse tipo de material que é, sumariamente, o meio onde se desenvolvem as raízes das plantas, pode ser constituído de um único material ou ainda, pela mistura de dois ou mais materiais.  A maioria dos substratos podem ser utilizados no cultivo de orquídeas e os seus tipos variam: tem os de origem vegetal (com fibra de coco, casca de pinus, casca de peroba e casca de arroz carbonizada), de origem mineral (com argila expandida rígida e pedra brita) e o sintético (isopor e espuma fenólica). 
Mas para que a planta cresça saudável, é preciso que o substrato se encontre em características favoráveis no seu crescimento e florescimento como a aeração, permeabilidade e capacidade de retenção de nutrientes.


Substratos utilizados no cultivo de orquídeas

Por muito tempo, o xaxim, extraído da samambaiçu (Dicksonia sellowiana Hook), era o substrato mais utilizado no cultivo de plantas, seja em orquídeas ou samambaias. Porém, como hoje se encontra na Lista Oficial de Espécies da Flora Ameaçadas de Extinção (clique aqui para saber da Lista Vermelha das orquídeas), sua extração em florestas nativas está proibida, e por isso agora existem várias alternativas de substratos ideais para cada espécie.
Dicksonia sellowiana Hook
Exemplo de samambaiçu (Dicksonia sellowiana Hook), presente no Orquidário UEL

Pesquisas têm demonstrado que bons resultados estão intimamente relacionados à espécie e o ambiente onde será efetuado o cultivo. Materiais como resíduos de carvão provenientes das carvoarias têm tido bons resultados no cultivo de orquídeas, assim como casca de café, flocos de sabugo de milho e bagaço de cana-de-açúcar, também vêm sendo testados e seus resultados demonstram que possuem os mesmos potenciais substitutos do xaxim.
Antes de selecionar o substrato que você deseja utilizar, é preciso considerar se é ideal para a espécie de orquídea e o ambiente de cultivo.

• Pó e fibra de coco. Vindos do processamento industrial das cascas de cocos, esses resíduos possuem elevada porosidade total, capacidade de aeração e retenção de água. Portanto requer atenção dada à sua salinidade. Para esse tipo de substrato, é necessário seguir as instruções do fabricante quanto à necessidade de reidratação do material antes de sua utilização. Tanto o coco em fibras quanto a mistura de coco em pó com coco em cubos, pode ser utilizada no cultivo de Dendrobium nobile. O coco em pó e a mistura de coco com coco desfibrado é recomendado para o cultivo de Oncidium baueri.
Oncidium baueri do Orquidário UEL

• Casca de pinus. Esse substrato é recomendado para o cultivo das orquídeas Cymbidium, Vanda, Cattelya e Laelia. O material da casca de pinus retém umidade.
casca de pinus com carvão

• Casca de peroba. Apresenta casca rugosa e grande durabilidade, retendo pouco adubo e umidade. É indicada no cultivo de Miltonia, Oncidium, Brassavola e Encylia. 
• Areia. Ela pode ser utilizada em granulometria média ou grossa,pois apresenta rápida drenagem e alta densidade. Para cultivo, recomenda-se utilizar esse material misturado com outro substrato.
• Casca de arroz carbonizada. A principal vantagem do seu uso é sua alta aeração e baixa densidade (leve). A casca de arroz carbonizada ainda possui Silício, que torna as orquídeas mais resistentes quanto ao ataque de doenças, principalmente de fungos. Deve ser utilizada misturada com outro material e sua aquisição é bem difícil de ser encontradas nos mercados.

Para saber mais


Propriedades físicas do substrato

Densidade. É a relação entre a massa e o volume do substrato. Quanto mais alta a densidade, mais difícil o cultivo no recipiente, devido às limitações no crescimento da planta, ou ainda pela dificuldade de transportar o vaso em função do seu peso.
Porosidade. É recomendável que o substrato seja suficientemente poroso para permitir as trocas gasosas, evitando a falta de oxigenação nas raízes e na atividade dos micro-organismos.
Disponibilidade de ar e água. Característico para cada tipo de material, é o termo capacidade de recipiente utilizado para descrever o volume máximo de água retido pelo substrato no recipiente, após drenagem natural.

Propriedade químicas do substrato

pH. Refere-se à reação de alcalinidade ou acidez do meio de cultivo em uma escala de 1 a 14. A importância de conhecer o pH está relacionada com sua influência no crescimento das plantas, pois pode afetar a disponibilidade de nutrientes. A faixa de pH recomendada para as orquídeas epífitas está entre 4,5 a 5,2 e para as terrestres, de 5,5 a 6,3.
Condutividade elétrica (CE). Através da avaliação de salinidade, que se baseia na CE de seus íons dissolvidos (em alguns tipos de sais solúveis), tem o objetivo de conhecer a concentração salina do substrato. Com valores muito altos de salinidade pode acarretar na perda de água pelas raízes, o que causa mancha nas folhas. Nas orquídeas classificadas como sensíveis, elas toleram níveis de salinidade entre 0,5 a 1,0 g.L Para medição é necessário um aparelho condutivímetro.


Fonte: FARIA, Ricardo Tadeu de; ASSIS, Adriane Marinho de; CARVALHO, Jane Fiuza Rodrigues Portela de. Cultivo de Orquídeas. Editora Mecenas. Londrina, 2010.
Para adquirir esse livro, entre em contato editoramecenas@yahoo.com ou acesse aqui.
Mais informações sobre livros, clique aqui. 

0 comentários:

Ouça agora mais quatro programas do Flores e Paisagismo

outubro 08, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Para participar da coluna semanal, envie sugestões e dúvidas de qualquer assunto que envolva jardinagem e paisagismo para nosso e-mail orquidariouel@gmail.com ou  ou mesmo em nossa página do Facebook

Nossa coluna "Flores e Paisagismo" vai ao ar toda quarta-feira no horário da manhã, às 8h30 e reprisado toda segunda-feira, às 21h, na Rádio UEL 107,9 FM.(Foto: Alanis Brito)


Está disponível mais quatro áudios da coluna da Rádio UEL FM apresentados no começo desse ano. Para continuar nossa série de postagens sobre a nossa coluna Flores e Paisagismo, todo mês providenciamos as colunas que foram ao ar durante um mês. 
Na postagem de hoje, os áudios abordam temas como samambaias, adubo orgânico, flores comestíveis e um especial de natal sobre as árvores naturais para decoração, respectivamente.
Ouça abaixo:



O Programa

Flores e Paisagismo é uma coluna com duração de cinco minutos e vai ao ar toda semana, às 8h30, às quartas-feiras e reprisado toda segunda-feira, às 21h. Uma parceria do Orquidário UEL com a Rádio UEL FM que começou no fim do ano passado (2016), e estreou no dia 15 de fevereiro desse ano. O programa conta com a colaboração do professor de agronomia Ricardo Tadeu de Faria e com a estudante de jornalismo da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Alanis Brito. 

Serviço

Para ouvir a Rádio UEL FM, sintonize para a frequência 107,9 FM ou entre no site da Rádio UEL FM e clique em 'ouvir a UEL FM'. Lembrando que é necessário ter instalado o Media Player; possuir conexão banda larga; utilizar um browser compatível (Internet Explorer ou Firefox) e ligar sua caixa de som.
** Não deixe de compartilhar a postagem e convide seus amigos para conhecer mais sobre o Projeto Orquidário UEL!

0 comentários:

9º Abraço do Lago e plantio de orquídeas

outubro 01, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Evento realizado no Lago Igapó II, tem como objetivo pedir mais paz em Londrina

Houve também plantio de orquídeas no final do evento (Foto: Alanis Brito/2016)

Nesse último domingo (24), foi realizado o 9º Abraço no Lago Igapó em Londrina (PR)., com a finalidade de pedir paz para a cidade. Segundo a organização, teve bandeiras do COMPAZ, do Pazeando, Internacional da PAZ, dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis do Milênio e também faixas, cartazes e camisetas brancas. 
No final do evento, integrantes do Rotary Clube de Londrina, em parceria com a Universidade Estadual de Londrina (UEL), coordenado pelo professor do Departamento de Agronomia (CCA), Ricardo Faria, fizeram o plantio de várias mudas de orquídeas doadas pelo Orquidário UEL nas árvores que rodeiam o Lago Igapó II. O projeto foi elaborado por Ivany Vaquero e o plantio teve ajuda de atiradores do Tiro de Guerra, além de voluntários e sócios do Rotary Londrina.
Veja abaixo as fotos do plantio tiradas e enviadas por Vaquero, autora do projeto:
Na foto estão presentes, Comandante do Tiro de Guerra, Governador do Rotary, além da autora do projeto
Vaquero e voluntários
Mudas que foram usadas para o plantio


Clique aqui para ler nossa matéria do 8º Abraço do Lago de 2016.

Fontes: Tarobá Londrina

0 comentários:

Produção científica do Orquidário UEL é apresentado em congresso de botânica no Rio

setembro 25, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Os dois trabalhos foram apresentados na 68ª edição do Congresso Nacional de Botânica (CNBot) no Rio de Janeiro

Evento nacional é aberto a todos os interessados na conservação e na sustentabilidade dos recursos naturais, especialmente nos componentes da flora. (Foto: Divulgação CNBot)

A 68ª do Congresso Nacional de Botânica (CNBot), promovido pela Sociedade Botânica do Brasil (SBB), foi realizada entre os dias 20 a 25 de agosto na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Na edição de 2017, de tema “Diversidade Vegetal: Conhecimento e Aplicações”, dois trabalhos orientados pelo professor de agronomia e coordenador do Orquidário UEL, Ricardo Tadeu de Faria, foram apresentados no evento. 
O pôster 'Multiplicação e cultivo in vitro da orquídea nativa Cattleya nobilior Rchb. F.', foi desenvolvido pelos alunos: Jean C.B. Paula, Gianne C.G Stulzer, Douglas J. Bertoncelli e Guilherme C. Alves. O objetivo do trabalho foi avaliar o efeito do glifosato no cultivo in vitro da orquídea brasileira Cattleya nobilior Rchb. F. durante sua multilicação in vitro.

O segundo trabalho apresentado, intitulado 'Novo híbrido de orquídea obtido através do cruzamento de duas espécies brasileiras', desenvolvidos por Ricardo Tadeu de Faria,  Gianne C.G Stulzer, Jean C.B. Paula, , Douglas J. Bertoncelli e Guilherme C.A , teve por objetivo obter um novo híbrido a partir do cruzamento das orquídeas Cattleya forbesii e Catteya labiata. O resultado gerou, segundo o artigo, uma planta vigorosa com as características desejadas de porte baixo proveniente de C. forbesii, a forma da flor da C. labiata e com florescimento em duas épocas do ano e durabilidade entre 15 a 20 dias. 



Para mais informações sobre o evento, clique aqui. 

0 comentários:

Professor ensina técnicas e dicas de cultivo em curso de orquídeas

setembro 23, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Ricardo Tadeu de Faria, professor de agronomia da UEL e coordenador do Orquidário UEL, ministra curso de cultivo na Feira de Orquídeas no Shopping Armazém da Moda
Faria ministrando no curso de cultivo de orquídeas (Fotos: Alanis Brito/Orquidário UEL)

Em uma sala espaçosa ao fundo do Shopping Armazém da Moda, Ricardo Tadeu de Faria, professor de agronomia da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e coordenador do Orquidário UEL, ministrou o último curso de cultivo de orquídeas no sábado (9), da edição de 2017 da Feria de Orquídeas. Com duração de cerca de duas horas, os alunos puderam aprender dicas e técnicas de cultivo das espécies de orquídeas mais populares como phalaenopsisdendrobium, cattelyaoncidium. 
Cattleya, espécie citada no curso

Faria seguiu uma planilha de temas que iriam ser discutidos durante o curso. O professor abordou desde a nomenclatura, curiosidades como sementes de orquídeas, espécies, construção de orquidário a tipos de vasos, regas, substratos, adubação e pragas e doenças.
Uma dica valiosa dada pelo professor é que a orquídea precisa de apenas um dono, ou seja, um responsável pela rega, adubação e troca de substrato. Na rega, Faria deu exemplo do copo de água. "Se qualquer um (na casa) que vai tomar água, jogar o resto na orquídea, o excesso da água vai favorecer bactérias e apodrecer a raiz". Segundo ele, vale lembrar sempre de molhar o substrato apenas quando ela estiver seca e evitar molhar a folha. "A melhor forma de saber a próxima rega é o dedo e o peso do vaso", explica (clique aqui para saber mais sobre rega em orquídeas).  

"Qual é a lógica da orquídea da água? É como lavar uma toalha. À tarde, com esse calor, ela (água) já vai estar seca. O segredo é sempre molhar de manhã e deixar passar o dia todo sem molhar. Se está dentro de casa, ela vai demorar mais para transpirar porque está sem o sol. Então você pode molhar um dia sim, um dia não."

Orquídeas como as chuva-de-ouro (oncidium) ou as cattleyas têm caule gordinho (pseudobulbos), e precisam de menos água do que as outras espécies. 
Apostila de apoio nos ensinamentos de cultivo de orquídeas

De acordo com Faria, não é recomendado plantar orquídeas epífitas na terra, pois essas plantas possuem raízes adaptadas para captar uma quantidade maior de umidade, e devido a isso, ficam entupidas e esmagadas quando colocadas na terra. A orientação é plantar a orquídea em substrato, com mistura de carvão, casca de coco e tronco de árvore.
Faria com dendobrium, uma das espécies mais comuns facilmente encontradas em floriculturas

Ainda segundo ele, um meio interessante de evitar fungos e bactérias nas orquídeas é utilizar canela em pó nas folhas e raízes. 
No tema de adubação, citou um produto que possui os três nutrientes principais para as plantas (NPK, nitrogênio, fósforo e potássio). É uma solução misturada com água que você pode utilizar antes do período da floração e dar a continuidade do uso assim que as flores caírem. 

Exemplo de fertilizantes usados por Faria. 


O curso contou também com uma demonstração prática de como plantar ou transferir uma muda de orquídea para um vaso maior. Geraldo Lopes, funcionário do Orquidário UEL, apresenta, de forma profissional e delicada, a retirada de restos de substratos das raízes da planta para sua transferência no outro vaso. 

E quando sabemos a hora de trocar a orquídea de vaso? Para Faria, quando o substrato da orquídea ficar velho - o que acontece a cada quatro anos, aproximadamente. Alguns substratos duram mais (casca de pínus, esfagno-do-chile), outros menos (fibra de coco, esfagno nacional, sabugo de milho). 

Outra dica é nunca trocar a orquídea quando ela estiver florida, pois isso gera estresse na planta. 

Todos os alunos ganharam uma muda de orquídea no final do curso e, aqueles que acertavam algumas respostas, levava uma planta para casa também.
Nilza Toshiko M. Kawamura com sua muda de orquídea que ganhou na aula


Foto da turma que participou do último dia do curso de cultivo da Feira.

Para mais fotos, acesse o slide abaixo ou clique aqui.
Feira de Orquídeas no Armazém da Moda

0 comentários:

Segunda edição de livro sobre paisagismo é lançado

setembro 03, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Segunda edição do livro sobre paisagismo conta com versão ilustrada

Orquidário UEL, autor Ricardo Tadeu de Faria
(Foto: Divulgação/ Armazém da Moda)

Durante a Feira de Orquídeas no Shopping Armazém da Moda, te o lançamento da segunda edição do livro "Paisagismo - Harmonia, Ciência e Artedo professor Ricardo Tadeu de Faria, em parceria com Adriane Marinho de Assis e Rona Carlos Colombo.
O livro traz algumas novidades. Agora ela é ilustrada e aborda:
- Histórico e Evolução do Paisagismo
- Estilos de Jardins
- Jardins Verticais e Jardins dos Sentidos
- Jardins Coletivos e Privativos
- Funções de Qualidades do Paisagismo
- Linhas Projetuais do Paisagismo no Brasil
- A Obra de Roberto Burle Marx
- Círculo Cromático
- Projeto Paisagístico

A Feira segue até o dia 10 de setembro e inclui cursos práticos de cultivo nos dias 02, 06, 07 e 09 de setembro, ministrados por Faria. Mais informações, clique aqui.
Para saber mais, fiquem ligados em nossa página do face, Orquidário UEL, que em breve teremos sorteio desse livro!
A primeira edição do livro e seus detalhes, você encontra aqui.

Serviço

Data: 01 a 10 de setembro
Local: Armazém da Moda (Rua Tiradentes, 1411)
Horário de visitas: 10h às 20h, todos os dias
Mais informações pelo telefone (43) 3348-0154.
Entrada gratuita.

0 comentários:

Feira de Orquídeas e Cursos de cultivo no Armazém da Moda

setembro 01, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Feira de Orquídeas, promovida pelo grupo de produtores da região de Mogi das Cruzes (SP) e pelo Armazém da Moda, vai até o dia 10 de setembro

Foto: Alanis Brito


Hoje (1) começou a 20ª edição da Feira de Orquídeas, promovida pelo grupo de produtores da região de Mogi das Cruzes (SP) e pelo Shopping Armazém da Moda. O evento vai até o próximo dia 10 de setembro com grande variedade de flores em cores e formatos. 
A feira conta também com o lançamento do livro do professor Ricardo Tadeu de Faria, “Paisagismo - Harmonia, Ciência e Arte”, em parceria com Adriane Marinho de Assis e Rona Carlos Colombo.

Cursos

Na edição de 2017, os cursos serão realizados nos dias 02, 06, 07 e 09 de setembro, ministrados pelo professor de agronomia e pesquisador da Universidade Estadual de Londrina, Ricardo Tadeu de Faria.

Os horários variam: nos dias 02, 07 e 09 , o curso começa às 15h e no dias 06, às 19h30. O preço do curso é de R$ 30,00 e a obtenção da apostila (R$15,00) é opcional. A duração do curso tem em torno de duas horas. Todos que participarem do curso, receberá como brinde, um vaso de orquídea. 
Para se inscrever no curso é necessário ligar para o telefone (43) 3348-0154. O pagamento é feito na hora.
Foto: Armazém da Moda/Divulgação

Serviço

Data: 01 a 10 de setembro 
Local: Armazém da Moda (Rua Tiradentes, 1411) 
Horário de visitas: 10h às 20h, todos os dias
Mais informações pelo telefone (43) 3348-0154. 
Entrada gratuita.


0 comentários:

Conheça mais sobre o Orquidário UEL

julho 31, 2017 Orquidário UEL 0 Comments



(Foto: Alanis Brito)

Para mostrar um pouco mais sobre a história do Orquidário UEL, fizemos um vídeo curto com alguns de nossos objetivos, a pesquisa, a preservação e a não coleta predatória de orquídeas no seu ambiente natural.
Caso queira ler na integra como foi criado o Orquidário, clique aqui.

Assista abaixo o vídeo que fizemos com muito carinho:


Para conhecer mais sobre o Nosso Cantinho, acesse nossa página do Flickr para mais fotos:

Cantinho do Orquidário UEL

0 comentários:

Programa Flores e Paisagismo na Rádio UEL FM

julho 15, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


Ouça já as colunas que foram ao ar na Rádio UEL FM

Orquidário UEL se localiza próximo ao Hospital Veterinário (HU) na universidade londrinense (Foto: Alanis Brito)

Disponibilizamos a vocês, caros leitores, quatro gravações de cinco minutos da coluna Flores e Paisagismo, o que corresponderia a um mês do programa. No primeiro áudio, trataremos do tema "Orquídeas dentro de casa"; no segundo falaremos sobre a "Horta caseira"; conversamos também sobre "Rosa" e seu cultivo na terceira gravação e, por fim, sobre "Jardim de inverno" na quarta coluna.
Ouça abaixo nossa coluna:



O Programa

Flores e Paisagismo é uma coluna com duração de cinco minutos e vai ao ar toda semana, às 8h30, às quartas-feiras e reprisado toda segunda-feira, às 21h. Uma parceria do Orquidário UEL com a Rádio UEL FM que começou no fim do ano passado (2016), e estreou no dia 15 de fevereiro desse ano. O programa conta com a colaboração do professor de agronomia Ricardo Tadeu de Faria e com a estudante de jornalismo da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Alanis Brito. 

Serviço

Postaremos mais gravações nas próximas semanas! Fiquem atentos.
Você pode participar da coluna enviando sugestões e dúvidas de qualquer assunto que envolva jardinagem e paisagismo. Envie para nosso e-mail orquidariouel@gmail.com, ou através do formulário no site ou mesmo em nossa página do Facebook.
Para ouvir a Rádio UEL FM, sintonize para a frequência 107,9 FM ou entre no site da Rádio UEL FM  e clique em 'ouvir a UEL FM'. Lembrando que é necessário ter instalado o Media Player; possuir conexão banda larga; utilizar um browser compatível (Internet Explorer ou Firefox) e ligar sua caixa de som.


0 comentários:

Venha aprender como fazer compostagem

junho 16, 2017 Orquidário UEL 1 Comments


(Foto: Recicloteca)

Em mais um programa "Meu Jardim", da RPC TV, o professor da UEL, Ricardo Tadeu de Faria, ensina como fazer compostagem e reaproveitar materiais que normalmente são destinados ao lixo.
Veja abaixo mais uma colaboração do Orquidário UEL na mídia local:



Para mais vídeos sobre o Orquidário UEL, clique aqui.

1 comentários:

Orquidário UEL e parceria ambiental

maio 26, 2017 Orquidário UEL 0 Comments



Mudas do Orquidário UEL (Foto: Alanis Brito)

Inúmeros vasos são deixados nos cemitérios após as flores murcharem e, como o material é feito de plástico não é reaproveitado e acaba sendo destinado ao lixo. Com a parceria da Administração de Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina (Acesf), Orquidário UEL e Secretaria Municipal de Educação, realizada desde março desse ano, os recipientes são recolhidos pela equipe da Acesf, limpos e enviados à Universidade Estadual de Londrina. Em troca, o Orquidário já doou 200 mudas de orquídeas que foram plantadas em árvores do Cemitério Jardim da Saudade (Zona Norte).
Normalmente são depositados entre 500 a 800 recipientes de flores nos 13 cemitérios municipais - número que eleva em datas comemorativas como o Dias das Mães e Finados. 
Segundo uma entrevista para a Folha de Londrina, o superintendente da Acesf, Douglas Pereira, afirma que a parceria traz diversas vantagens principalmente para o meio ambiente, como a destinação dos vasos que antes abarrotava um espaço na autarquia.
Outra consequência dessa parceria se deu na área de educação. Com a doação de 2 mil vasos pela Acesf, os alunos da Escola Municipal Maestro Roberto Pereira Panico, localizado no Jardim São Vicente Palotti (Zona Leste), plantaram mudas de flores trazidas pelo curso de Agronomia da UEL. Parte das plantas foram dadas às mães dos alunos que realizaram o plantio, em homenagem ao Dia das Mães e o restante será utilizado para a "Feira do Empreendedor",que vai ser realizado em outubro, na sede da unidade escolar.
Para o professor e coordenador do Orquidário, Ricardo Tadeu de Faria, ele ressalta que a parceria beneficia a todos. "O 'lixo' é transformado e utilizado no plantio de flores. Além disso, para nós do Orquidário tem uma economia grande, cerca de R$ 8 mil só na primeira ação realizada".


0 comentários:

Programação do III SimbraOrq é definida

maio 18, 2017 Orquidário UEL 0 Comments


(Foto: Divulgação/ Simbraorq)

A terceira edição do Simpósio Brasileiro sobre Cultivo de Orquídeas (SIMBRAORQ) já está com data e programação definida. O evento acontece entre os dias 20 a 23 de março de 2018 na Universidade Estadual de Londrina (UEL), em Londrina (PR), uma realização do Departamento de Agronomia da UEL, da Empresa júnior de consultoria do curso de agronomia (Consoagro), da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Câmpus de Jaboticabal. 
O simpósio terá como tema central "A indústria da orquídea", que irá discutir nos três dias através de palestras e apresentação de trabalhos científicos, temas como banco de sementes, biofábrica de orquídeas, substratos, nutrição e pós colheita. No dia 20 de março está programada mini cursos que abordam cultivo de orquídeas, propagação in vitro, criopreservação, biorreator, substratos e nutrição. Já no dia 23, irão ser realizadas visitas técnicas que complementam o tema do evento.
Espera-se um público entre professores, estudantes de graduação, pós-graduação da área e a apresentação de diversos trabalhos científicos.

Serviço

Para mais informações acesse a página do Facebook do evento (https://www.facebook.com/IIISimbraOrq/), mande e-mail para 3simbraorq@gmail.com ou clique no endereço www.uel.br/eventos/IIIsimbraorq.

Segue abaixo a programação do III SimbraOrq.



0 comentários:

Cattleya warneri

abril 15, 2017 Orquidário UEL 1 Comments


Lista Vermelha - Cattleya warneri

Cattleya warneri do tipo alba
Para o mês de abril, seguindo nossas postagens sobre as orquídeas da Lista Vermelha, iremos falar sobre a Cattleya warneri, nativa do estado do Espírito Santo e Minas Gerais, também ocorrendo no norte do Rio de Janeiro e sul da Bahia. Desde a colonização, essa orquídea passou a ser ornamento em várias residências. Chama muito a atenção pelo seu tamanho, principalmente pela sua beleza que predomina a flora local. 

Origem: Brasil
Estados: Espírito Santo e Minas Gerais, também ocorrendo no norte do Rio de Janeiro e sul da Bahia
Tamanho da flor: Flores grandes, podendo atingir 22 centímetros de diâmetro. 
Época floração: início da primavera
Floração: Dura em média 20 dias.
O naturalista Dr. George Gardner,  foi o primeiro que descobriu a C. warneri na província de Minas Gerais, durante uma viagem no final dos anos 1830. Gardner estava convencido de que tinha redescoberto a C. labiata, assim a C. warneri iniciou com a nomenclatura das orquídeas como "Cattleya labiata" por aproximadamente 25 anos.

Luminosidade: sem expor diretamente ao Sol. Meia-sombra 50%.

Recipiente: Potes de plástico, cerâmica ou cestas

Exemplar da Cattleya warneri T. Moore ex Warner
C. warneri amesiana. 

Substrato: bem arejado e leve, o mesmo usado para as Cattleyas labiatas e substituí-lo a cada dois anos.
Adubação: adubar regularmente enquanto as plantas estiverem em atividade de desenvolvimento. 
Regas: Duas vezes por semana e deve ser irrigado sempre que o substrato se apresentar seco. 
Doenças: Cochonilha, pulgões, tentecoris, além de bactérias e doenças fúngicas que causam antracnose e podridões. Praticamente as mesmas pragas de orquídeas do gênero.
É uma espécie de clima quente e de fácil cultivo para iniciantes. Suas flores são de grande porte e muito perfumadas.

Tipos: São encontradas os tipos albinos, (alba, pseudoalba, albecens, , alba-punctata, alba-venosa, ametistina, etc) e coloridas (striata, labeloide, trilabelo, concolor ou unicolor, etc).
Variações: Cattleya warneri coerulea, Cattleya warneri tipo Dona Linda, Cattleya warneri coerulea Cattleya warneri semi alba, Cattleya warneri tipo Principessa, entre outros.
C. warneri fma. coerulea 'Sawa Blue'


Fontes: Ceci Orquídeas
             JSalmazo
             Wikipedia
             Flickr




1 comentários: